Maringá é rota de produtos que entram ilegalmente no país
Foto: Luciana Peña/CBN Maringá

Operação Escudo

Maringá é rota de produtos que entram ilegalmente no país

Segurança por Luciana Peña em 28/08/2020 - 12:06

É a explicação para o maior volume de retenções na Operação Escudo da Receita Federal no Paraná e Santa Catarina. Foram aproximadamente R$ 3 mi em produtos apreendidos em Maringá e região.

A Operação Escudo é uma ação permanente da Receita Federal que começou no último dia 10. E em três semanas de operação, em cidades e rodovias do Paraná e Santa Catarina, o maior volume de apreensões foi em Maringá e região.

Esta semana foram 5 milhões e meio de reais em mercadorias retidas porque entraram no país sem pagar impostos ou porque simplesmente são proibidas, como os cigarros do Paraguai.

A ação no Paraná foi concentrada nas regiões norte e noroeste. Houve apreensões em Lages, em Santa Catarina, e em Londrina. Mas o grosso do contrabando ou descaminho foi flagrado em Maringá e região: aproximadamente 3 milhões de reais.

Como explica o analista tributário da Receita Federal, Marcos Luchiancenkol. [ouça no áudio acima]

O volume de apreensões esta semana surpreendeu. Foi o maior desde o início da Operação Escudo. O que revela que Maringá e região estão na rota do contrabando e descaminho. [ouça no áudio acima]

Quem traz mercadoria de outro país sem pagar imposto só tem a chance de regularizar a importação na alfândega. Depois disso, se pego pela fiscalização, perde o que trouxe. E a Receita Federal dá um destino para as mercadorias apreendidas. [ouça no áudio acima]

A operação é coordenada pela Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho da Receita Federal em Curitiba.

Fotos: Luciana Peña/CBN Maringá