Marginal onde dois ciclistas morreram atropelados é pouco iluminada
Google maps

Maringá a Paiçandu

Marginal onde dois ciclistas morreram atropelados é pouco iluminada

Por Luciana Peña em 15/05/2019 - 09:34

Os ciclistas foram atingidos por um carro na noite dessa terça-feira (14) na Rua Marechal Castelo Branco, marginal da PR-323 em Paiçandu. Existe ciclovia no local, mas a iluminação é precária. O motorista do carro foi internado em estado grave. Ele não tem carteira de habilitação.

Player Ouça a reportagem

Alan Thiago Longhi de 29 anos e Nilo Ferreira de Andrade de 64, trabalhavam em Maringá e estavam voltando de bicicleta para casa em Paiçandu na noite dessa terça-feira quando foram atingidos por um carro. Os dois ciclistas morreram na hora. O carro, depois de atingir as bicicletas bateu num poste. O motorista e um passageiro foram levados para o hospital. O motorista em estado mais grave. Ele não tem habilitação, diz o sargento Claudemir Palhari, da Polícia Militar em Paiçandu.

 Os ciclistas foram atingidos do lado direito da pista. Existe uma ciclovia, mas do lado esquerdo. Uma probabilidade é que os ciclistas não estivessem na ciclovia por causa da iluminação que é melhor do lado direito. O prefeito de Paiçandu Tarcísio Marques diz que a iluminação é suficiente. O problema é o vandalismo.

 O ouvinte da CBN Edson José da Silva diz que a iluminação no trecho que pertence a Maringá tem vários postes sem luz. Ele inclusive já reclamou no 156.

 A CBN entrou em contato com a Prefeitura de Maringá para saber sobre a iluminação no trecho que pertence à cidade. A reportagem também entrou em contato com o DER, Departamento de Estradas de Rodagem. O DER explicou que a ciclovia foi construída pelo Estado, mas a iluminação é responsabilidade das prefeituras. Isso é determinado pela Constituição, pela Advocacia Geral da União e pela Anel, Agência Nacional de Energia Elétrica. Centenas de trabalhadores fazem o trajeto Maringá a Paiçandu todos os dias e muitos usam bicicleta.

Notícias Relacionadas

Notícias da mesma editoria