Jair Biatto justifica horas extras e compras de remédios à CPI da Saúde
Foto: Arquivo/PMM

Explicação

Jair Biatto justifica horas extras e compras de remédios à CPI da Saúde

Saúde por Victor Simião em 04/08/2020 - 18:06

O secretário prestou depoimento aos vereadores nesta terça-feira (04). Segundo ele, embora pareça ter havido mais gastos com insumos, o que houve foi economia se uma comparação for feita. 

Em depoimento à CPI da Saúde nesta terça-feira (04), o secretário de Saúde de Maringá, Jair Biatto, disse que a afirmação sobre o município pagar até três vezes mais na compra de produtos foi um mal-entendido. Ele também respondeu a questionamentos dos vereadores em outros dois temas: a compra de dois remédios acima do preço de mercado e os gastos com horas extras por parte dos servidores da Saúde.

A Comissão Parlamentar de Inquérito foi criada em junho após o secretário ter dito que era comum a Prefeitura pagar até três vezes mais na compra de um produto. Depois, ele se explicou dizendo que a burocracia e a alta demanda por produtos resultavam no preço maior. Na Câmara, durante a CPI, justificou o que chamou de mal-entendido apresentando dados do município.

Documentos da Prefeitura de Maringá e do Observatório Social foram analisados pela comissão.

Em resumo, de 25 itens avaliados, dois foram comprados por preços mais altos que o de mercado. Esses dois levaram o município a gastar R$ 400 mil - que poderia ser um valor menor, segundo o vereador Sidnei Telles. Ao se justificar, Biatto disse que na verdade houve um rito. Como era licitação por registro de preço - que já tinha valor definido, portanto - a prefeitura na verdade economizou quando olhado o todo da compra e fazendo comparação. [ouça no áudio acima]

No caso das horas extras, há servidores na Secretaria de Saúde fazendo mensalmente mais de 100 horas além do contrato. Em maio, por exemplo, um motorista fez 170 horas extras. Um médico fez 40 horas após a jornada normal - e, nesse caso, recebeu mais de R$ 5 mil. De janeiro a maio, a Prefeitura pagou quase R$ 2 milhões em horas extras

Sobre esse tópico, Biatto disse que há controle. O que ocorre é que há a pandemia, que demanda mais servidores em mais horários, e escalas que, em muitas situações, resultam nisso. [ouça no áudio acima]

No momento, o Ministério Público também apura o caso. Cinco vereadores fazem parte da comissão.

A Prefeitura de Maringá já disse apoiar a CPI e que irá prestar todos os esclarecimentos necessários.