Implantação do botão do pânico em Maringá esbarra na burocracia
Rogério Machado/SEDS

Segurança

Implantação do botão do pânico em Maringá esbarra na burocracia

Por Carina Bernardino em 09/10/2018 - 15:24

Semulher recebeu R$ 164 mil para adquirir 50 dispositivos, mas não pode usar sem autorização da Câmara. Prefeitura fará suplementação no orçamento da secretaria para liberar recurso.  

Player Ouça a reportagem

O prefeito Ulisses Maia assinou nessa segunda-feira (8) um pedido de suplementação de recursos no orçamento da secretaria da Mulher de Maringá. É que a Semulher recebeu em julho, por meio de convênio estadual, R$ 164 mil para adquirir 50 botões do pânico e ainda não pode usar por falta de autorização da Câmara Municipal. O Portal GMC Online apurou que a expectativa é que o Legislativo autorize a suplementação na sessão dessa quinta-feira (11), para que a secretaria consiga licitar o serviço.  

Após liberação do recurso, uma licitação será aberta para contratar a empresa que irá fornecer os 50 botões do pânico para Maringá. O contrato será por um ano, mas poderá ser prorrogado por igual período. Os R$ 164 mil foram repassados pela secretaria da Família e Desenvolvimento Social do Paraná. Atualmente, o trabalho de proteção às mulheres em situação de risco é feito pela Patrulha Maria da Penha, que completou um ano em setembro. O atendimento é realizado por guardas municipais.