Fisioterapeutas também se adaptaram ao novo normal
Foto: Luciana Peña/CBN Maringá

Tecnologia

Fisioterapeutas também se adaptaram ao novo normal

Saúde por Luciana Peña em 13/07/2020 - 12:27

Desde março, o Conselho Regional de Fisioterapia autoriza o teleatendimento. Pacientes de grupo de risco  ou que preferem o atendimento remoto são os principais beneficiados.

O aposentado Carlos Antônio Marek fez uma cirurgia no começo do ano. Ia precisar de muitas sessões de fisioterapia para se recuperar. Mas aí veio a pandemia e as clínicas de fisioterapia fecharam.

A sorte de Carlos é que o Conselho Regional de Fisioterapia autorizou, bem naquele início de pandemia, o teleatendimento.

E desde então, da casa dele, de frente para o computador, Carlos pode fazer os exercícios que a fisioterapeuta indica.

As clínicas reabriram mas as sessões remotas continuam porque Carlos prefere assim. [ouça no áudio acima]

Muitas clínicas em Maringá estão se adaptando ao novo normal e oferecendo o teleatendimento. A fisioterapeuta Maria Amélia Fonteque diz que a clínica dela já estava se adaptando às plataformas de teleatendimento antes da pandemia porque imaginava que a ferramenta seria útil para um paciente que estivesse viajando, por exemplo. Não imaginou que a autorização e o uso viessem tão rapidamente. [ouça no áudio acima]

Alguns pacientes, como o Carlos e mães de recém-nascidos, continuam no atendimento remoto. [ouça no áudio acima]

Em outra clínica, o fisioterapeuta Kleber Barbão também atende pacientes de forma remota, principalmente aqueles que estão receosos de sair de casa na pandemia.

A adaptação às novas ferramentas não foi difícil porque o fisioterapeuta já realizava consultorias online, até para pessoas fora do país, antes da pandemia. [ouça o áudio acima] 

O atendimento online não substitui todos os procedimentos. Técnicas como a terapia manual, a osteopatia e a microfisioterapia só podem ser aplicadas presencialmente.