País

Direito ao esquecimento é para cidadão comum e não para o representante público

Por Gilson Aguiar em 08/10/2015 - 10:10

É o que afirma o advogado, especialista em Direito Digital, Marcelo Raganin. Para ele, há uma distorção da função da Lei do Esquecimento , que existe na Europa e protege quem sofreu agressão ou violação moral,  do projeto que tramita no Congresso Nacional.

Segundo Raganin, é fundamental ao cidadão ter informações do homem público para exercer a cidadania, por exemplo, na hora de escolher em quem vai ou não votar.

Player Ouça a entrevista

Notícias da mesma editoria