Com cinco décadas de carreira, Guinga vem a Maringá
Divulgação

Violonista

Com cinco décadas de carreira, Guinga vem a Maringá

Cultura por Victor Simião em 13/12/2019 - 18:20

Violonista e compositor, ele já gravou com João Nogueira, Elis Regina e Cartola. No domingo, o carioca se apresenta no Ecos do Ingá. A entrada é gratuita.

O toque do Guinga no violão não impressiona apenas plateias no Brasil e no mundo. Já despertou a atenção de gente como Cartola, João Nogueira, Elis Regina, Miúcha e tantas outras pessoas com quem ele trabalhou.

Aos 69 anos, o violonista, compositor e cantor Carlos Althier de Sousa Lemos Escobar, mais conhecido como Guinga, com mais de 5 décadas carreira, vem a Maringá neste fim de semana. No domingo (13), participa do Ecos do Ingá - Mostra de Música Instrumental, que chega à quarta edição. O evento ocorre durante a tarde e noite no Parque do Ingá. No dia, o carioca divide o palco com Mônica Salmaso.

Lançando trabalhos solos  desde os anos 1990, Guinga transita por diversas batidas no violão. Já foi reconhecido com Grammy Latino, Prêmio da Música Popular Brasileira -- e também por diversas regravações de artistas brasileiros e internacionais. É por essa razão que ele não se define musicalmente.

Agora, de lançamento, prepara o disco Japão Tour, junto com Mônica Salmaso. E se tem novidade, histórias do passado também não faltam. 2019, aliás, é o ano em que se completam 20 anos de um dos álbuns mais elogiados do carioca, o “Suite Leopoldina”.  O disco tem participação de Chico Buarque, Ed Motta - e, claro, o atento violão de Guinga. Questionado se foi esse o ponto da virada na carreira, o músico respondeu que não. Cada trabalho é um ponto de virada, afirmou.

Pensar em violão é pensar em João Gilberto. Em 2019, esse gênio da Bossa Nova morreu.  Guinga e ele foram vizinhos por 36 anos. A batida de João revolucionou a música. O instrumentista reconhece o talento do cantor e intérprete de Chega de Saudade. Mas quem fez a cabeça dele, no violão, foram músicos como Baden Powell, Hélio Delmiro, Garoto, Dilermando Reis -- e de uns anos pra cá, Marcus Tardelli. 

Aliás, um fato curioso, mesmo sendo vizinhos durante tanto tempo, Guinga nunca viu João Gilberto por lá. 

O Ecos do Ingá é produzido pelo Cottonet-Clube, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.