Candidatos iniciam articulações com lideranças regionais no Paraná
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20

O Assunto é Política

Candidatos iniciam articulações com lideranças regionais no Paraná

Por Diniz Neto em 20/08/2018 - 09:58
Player Ouça o boletim

TEMPO 20 de agosto, segunda-feira. Faltam 48 dias para o primeiro turno das eleições 2018, no domingo, 7 de outubro. A propaganda de rádio e TV terá início no dia 31 de agosto e prosseguirá até 4 de outubro. No segundo turno, de acordo com o calendário eleitoral, começa no dia 12 e prossegue até 26 de outubro. A eleição no segundo turno está marcada para o domingo, dia 28 de outubro.

 

CAMPANHAS COM MUITAS ATIVIDADES

As campanhas começaram com muitas reuniões.

Em Paiçandu, a equipe do candidato a deputado estadual Ricardo Maia (Podemos), realizou reunião conjunta com o candidato a deputado federal Rossi (PMN). Participaram os vereadores Felipe Maia, Joel da Pá e Carlos do Itaipu. O ex-vereador de Maringá, Tenente Edson, representou Ricardo Maia.

No sábado, Rossi realizou uma grande reunião em Sarandi com o Dr. Batista, presidente estadual do PMN e candidato à reeleição.

A Vila Operária realizou um desfile comemorativo aos seus 71 anos.

Dois deputados estaduais pelo PSDB, candidatos à reeleição, tem seus escritórios e comitês centrais da campanha na Operária: Evandro Junior e Wilson Quinteiro.

Ratinho Junior, do PSD, participou em Curitiba do lançamento da campanha do deputado federal Takayama, do PSC. Também se reuniu com pastores evangélicos. No domingo (19), esteve em Assis Chateaubriand.

A governadora Cida Borghetti, do PP, participou da 18ª edição da Agroleite, em Castro. No domingo, em Curitiba, Cida participou do evento que celebrou os 30 anos de ministério do pastor Paschoal Piragine, da Primeira Igreja Batista de Curitiba.

O candidato João Arruda, do MDB, esteve no sábado em Mandaguari. Domingo foi a Londrina e depois teve um encontro regional em Santo Antonio da Platina.

 

JOAO ARRUDA LANÇA CAMPANHA EM MANDAGUARI

O deputado federal João Arruda, candidato a governador pelo MDB, lançou a sua campanha em Mandaguari, no sábado dia 18, no Clube Recreativo.

Compareceram 400 pessoas, entre prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, ex-prefeitos, dirigentes partidários, lideranças e eleitores, de vários municípios da região da Amusep e da Amuvi (Vale do Ivaí).

Acompanharam João Arruda a sua candidata a vice-governadora, professora Eliana Cortez, o senador Roberto Requião, candidato a reeleição ao Senado pelo MDB; Nelton Friedrich, candidato a Senador pelo PDT, os deputados federais do MDB, Frangão e Sergio Souza, e os estaduais Anibelinho e Requião Filho.

O coordenador da campanha de João Arruda na região da Amusep, Ari Stroher, vice-prefeito de Mandaguari, fez a abertura do evento, destacando a importância da escolha do município para o lançamento da campanha do MDB ao governo do Paraná. Lembrou que Mandaguari é a cidade-mãe de todo o norte novo.

Em seguida falou o coordenador da campanha na região da Amuvi, o Vale do Ivaí, prefeito de Cambira, Marcos Toledo.

Falaram no evento os deputados e os candidatos ao Senado, Requião e Nelton Friedrich.

A candidata a vice-governadora, Eliana Cortez, vereadora em Ribeirão Claro, falou que é professora da rede pública e que, por conhecer muito bem as necessidades do setor, vai lutar para melhorar a qualidade do ensino e a valorização dos professores.

João Arruda se apresentou como candidato da “verdadeira oposição” e disse que vai:

1 - Resgatar a qualidade da Educação do Paraná, que já foi a primeira do Brasil, nos governos do MDB;

2 - Resgatar a Lei das Micro e Pequenas empresas, pois foi o Relator da Lei a nível Nacional, oferecendo isenção aos micros e redução de impostos aos pequenos.

3 - Disse que pretende acabar com a substituição tributária (os comerciantes pagam ICMS antecipado, no ato da compra da mercadoria) e que fará isto gradativamente, a exemplo de Santa Catarina.

4 - Na segurança pública, além de investir em tecnologia, vai suprir o mínimo que hoje não existe, pois as viaturas estão paradas nas oficinas, por falta de pagamento, ou paradas por falta de combustível, além dos coletes a prova de bala com data vencida.

5 - Pretende ainda colocar em funcionamento a rede de saúde, pois ainda há hospitais recém-construídos fechados, por detalhes insignificantes, como a falta de ligação de energia elétrica. 6 – Apresentou propostas para agricultura, esportes, infraestrutura, assistência social e demais áreas da administração pública.

Na plateia houve entusiasmo e menções ao desempenho de João Arruda no primeiro debate entre os candidatos ao governo, realizado no dia 16 de agosto, pela Band Paraná.

 

PRESIDENTE DA COMCAM VAI COORDENAR CAMPANHA DE CIDA BORGHETTI

A prefeita de Farol e presidente da Comcam (Comunidade dos Municípios da Região de Campo Mourão), Angela Kraus, vai coordenar a campanha da governadora Cida Borghetti na região. Kraus se licenciará para organizar a campanha de Cida com o apoio do prefeito de Quinta do Sol, João Claudio.

A definição foi anunciada em reunião neste domingo (19), durante a Festa do Carneiro no Vinho em Peabiru, com a presença de prefeitos e ex-prefeitos da região.

 

PARANÁ É O TERCEIRO ESTADO MAIS EFICIENTE DO PAÍS, EM ESTUDO DA FOLHA DE SP E DATAFOLHA

Ranking Folha mostra quais estados fazem mais com menos entregam mais saúde, educação, infraestrutura e segurança com menos dinheiro.

O REE-F (Ranking de Eficiência dos Estados - Folha) considera 17 variáveis agrupadas em 6 componentes para calcular a eficiência na gestão dos 26 estados e detalha ainda a situação das finanças de cada um deles.

Numa escala de 0 a 1, cinco estados ultrapassam 0,50 e, por isso, podem ser considerados "eficientes": Santa Catarina, São Paulo, Paraná, Pernambuco e Espírito Santo. Outros seis mostram "alguma eficiência" no uso de seus recursos e os demais 15 podem ser considerados "pouco eficientes" ou "ineficientes".

O objetivo do REE-F é quantificar o cumprimento, pelos governos estaduais, de funções básicas e previstas em lei segundo seus recursos financeiros.

Aparecem mais bem posicionados os estados que gastam menos, por exemplo, para ter mais jovens na escola, médicos e leitos em hospitais, redes de água e esgoto, melhores rodovias e menores índices de violência.

A partir do cruzamento com a atividade econômica dos estados, o REE-F mostra que aqueles que mantêm ou que ampliaram sua base industrial e de serviços na composição do PIB (Produto Interno Bruto), com impacto positivo na arrecadação de impostos, tendem a ser mais eficientes. Já os que têm a agricultura, a administração pública e os repasses da União como principais fontes de receita se saem pior.

Além de mostrar correlação com o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) da ONU, o REE-F revela que altas taxas de mortalidade infantil e homicídios são os sinais mais fortes da ineficiência de um estado. E que aqueles que possuem receita per capita maior não são necessariamente os com melhor desempenho.

O trabalho traz ainda um amplo panorama das dificuldades dos estados, com a queda na receita e investimentos na crise econômica, e a explosão das despesas com o aumento do funcionalismo ativo e inativo.

Com cada vez menos receitas disponíveis para o básico, os estados têm à frente um desafio inédito: quase a metade dos servidores está em idade de se aposentar, colocando em xeque o atendimento à população.

Notícias da mesma editoria