Bombeiros registram 267 incêndios ambientais este ano
"Justificativa se relaciona ao “erro humano: limpeza de terreno, de lote, queima de lixo... São coisas que desencadeiam queimas desenfreadas." (Imagem ilustrativa/Agência de Notícias do Paraná)

Maringá

Bombeiros registram 267 incêndios ambientais este ano

Por Letícia Tristão em 07/09/2018 - 11:59

Número é 66% maior que de janeiro a agosto de 2017.

Player Ouça a reportagem

Atualizado às 19h46 - O Corpo de Bombeiros atendeu um incêndio em um terreno na Avenida São Judas Tadeu, em Maringá, que começou por volta da 13h desta sexta. Assim, são 267 incêndios ambientais este ano na cidade.

O 5º Grupamento do Corpo de Bombeiros de Maringá atendeu 267 ocorrências de incêndio ambiental este ano. Número é 66% maior que de janeiro a agosto do ano passado, quando foram registrados 160 incêndios do tipo.

Segundo o oficial de comunicação do grupamento, tenente Alexandre Ferelli, a explicação desse aumento está nos fatores climáticos, apesar de agosto ter sido o mês mais chuvoso da história em Maringá. “O período de seca este ano, em especial em junho e julho, foi mais longo que o do ano passado. Isso contribuiu realmente com incêndios ambientais, com o aumento dos focos”, diz.

Mas, conforme Ferelli, a justificativa também se relaciona ao “erro humano: limpeza de terreno, de lote, queima de lixo... São coisas que desencadeiam queimas desenfreadas, [atribuídas] a temperaturas elevadas e baixa umidade do ar”.

Consequências

Além da destruição do patrimônio, fauna e flora, incêndios ambientais podem causar danos às pessoas indiretamente. De acordo com Ferelli, a queima da vegetação gera fumaça, que prejudica bairros residenciais no entorno, e afeta principalmente pessoas que têm problemas respiratórios.

Quando há fumaça próximo às rodovias, a visão e percepção dos condutores pode ser prejudicada. “Além disso, temos as matas ciliares, que são áreas de preservação, e quando são atingidas por incêndios ambientais causa um impacto muito grande”, explica.