Avaliando a gestão
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20

O Assunto é Política

Avaliando a gestão

Por Diniz Neto em 12/11/2019 - 10:58

 

Player Ouça o boletim

12 de novembro, terça-feira. Faltam 49 dias para o fim do ano.

  

Na coluna de hoje:

- AVALIANDO A GESTÃO ULISSES MAIA

- NOVO MDB GANHA DO VELHO MDB, NA JUSTIÇA

- O QUADRO POLÍTICO

- VÁRIOS PARTIDOS

- PSL NA VICE

- DEPUTADO FEDERAL

- JOVENS

- MENOS QUATRO VEREADORES EM SUMARÉ

- MANIFESTAÇÃO DIA 24 DE NOVEMBRO

- VIGÍLIA PELO GOVERNO BOLSONARO

 

AVALIANDO A GESTÃO ULISSES MAIA

Minha avaliação é um pouco diferente.

Em primeiro lugar, pouco importam em termos de resultado, as apresentações quadrimestrais. Elas podem ser uma tendência, mas o que vale mesmo, para números, são os fechamentos, as terceiras prestações de contas quadrimestrais de cada ano.

No orçamento de 2017, que a atual administração herdou, o equilíbrio das contas foi mantido movendo recursos previstos de investimentos para pagamento de custeio.

Já informamos aqui no ‘O Assunto é Política’, havia no orçamento de 2017 a previsão de R$ 40 milhões para construção de CMEIs, medida que fazia parte de um plano para zerar o déficit de vagas para crianças e zero a três anos em 2018.

Com o vale alimentação e aumento de salários, os gastos com pessoal subiram de R$ 496 milhões fixados no orçamento para R$ 530 milhões.

Em 2018, o déficit financeiro foi de R$ 44 milhões, no pente fino da contabilidade. Só não foi maior porque recebeu R$ 27 milhões do Santander, na negociação que trocou o banco para depósito de salários. Pegando esses R$ 71 milhões e somando com o aumento da dívida fundada, vamos ter o valor gasto além da arrecadação. Ou seja, tivemos déficit.

Em 2019, a tendência, pelas projeções, é de que haverá déficit.

No orçamento para 2020, que está na Câmara, o crescimento das receitas é superior à média dos últimos anos, tendo como tendência arrecadar menos do que está estimado. As despesas com pessoal estão fixadas com folga, mas as despesas de custeio estão fixadas com uma redução de 9% em relação a 2019, o que é praticamente impossível de conseguir. Já na primeira avaliação mais profunda, uma tendência de déficit também para 2020.

Nesta avaliação nem entrei no mérito das mais recentes autorizações da Câmara para empréstimos, o que aumenta a dívida do município.

 

REFIS

Parece que está em estudos um REFIS. Um mutirão para incentivar contribuintes a se colocarem em dia com a Prefeitura.

 

NOVO MDB GANHA DO VELHO MDB, NA JUSTIÇA

A executiva provisória do MDB de Maringá obteve uma vitória na Justiça. O juiz Eleitoral Fabiano Rodrigo de Souza, da 192a Zona Eleitoral, não reconheceu o direito do antigo diretório municipal sobre a nova executiva. Ao garantir os atos da provisória, no recadastramento, a sentença também extinguiu o processo com resolução de mérito.

 

O QUADRO POLÍTICO

Temos percebido e comentado aqui a movimentação dos partidos, se organizando para as eleições municipais de 2020.

Como tendência, se alinham em torno do prefeito o PDT e o MDB, que deverão ter o apoio do Cidadania e de outros partidos.

Como ficará o PSD, que tem mando político do deputado federal Sargento Fahur?

Em abril deste ano perguntei ao prefeito Ulisses Maia se ele aceitaria o convite do governador Ratinho Junior e ingressaria no PSD, naturalmente assumindo o comando do partido. Ele me disse que ainda não havia decidido.

Os ouvintes da CBN receberam esta informação, na época.

O prazo para transferências partidárias para o prefeito é começo de abril de 2020. Ou seja, ainda há a possibilidade do prefeito ingressar no PSD. Será que isto ocorrerá? Façam as suas apostas.

 

VÁRIOS PARTIDOS

Há muitos outros partidos que precisam se definir em relação aos comandos locais e rumos para 2020. As possibilidades são muitas, mas as tendências começam a se delinear.

 

PSL NA VICE

O comentário no fim de semana e ontem era de que o PSL de Maringá, dirigido pelo deputado estadual Do Carmo, se prepara para dar a candidata a vice-prefeita em chapa importante da eleição do ano que vem.

 

DEPUTADO FEDERAL

Outra notícia de bastidores é que o vice-prefeito, Edson Scabora, estaria recebendo apoio para um projeto de ser candidato a deputado federal, em 2022.

 

JOVENS

O conselheiro estadual da Juventude, Marcos Costa, representante da região de Maringá, participou de reunião do Conselho Nacional de Juventude da Catalunha. Os jovens da Catulunha consideram seu estado uma nação.

Segundo Marcos, a experiência foi muito produtiva,  conhecendo como funciona a política e a organizaçao catalã. Marcos vai compartilhar a experiência no Paraná, em especial em Maringá e região.

Ele ficou impressionado com o ambiente da política na Catalunha. Por lá, tudo é política e não é para menos, pois é uma comunidade autônoma, designada de “nacionalidade”, no seu estatuto (equivamente à uma constituição).

A Catalunha é composta por quatro províncias: Barcelona, Girona, Lérida e Tarragona. A capital é a sua maior cidade, Barcelona, a segunda maior da Espanha, país do qual a comunidade quer se independer.   

 

MENOS QUATRO VEREADORES EM SUMARÉ

Os vereadores Rudinei Lobo (Republicanos), Dr. Rubens Champam (PSDB) e Josué Cardozo (SD) protocolaram na Secretaria da Câmara Municipal de Sumaré, São Paulo, na última sexta-feira (8), o Projeto de Emenda à Lei Orgânica nº 2/2019, que altera para 17 o número de vereadores em Sumaré. O projeto deve passar pela aprovação das comissões permanentes antes de ir à votação, em dois turnos, no plenário.

Atualmente Sumaré tem 21 vereadores. Se aprovada, a redução não deverá valer para a eleição do ano que vem, 2020, mas valerá para a eleição de 2024.

Sumaré tem 282.441 habitantes.

Os vereadores alegam que a redução do número de vereadores atende as tendências do país de reformas e redução de gastos públicos.

 

MANIFESTAÇÃO DIA 24 DE NOVEMBRO

Manifestação da Coalizão da Direita Maringá com os seguintes grupos: Movimento Patriótico do Brasil, Comitê Suprapartidário, Direita Paraná e Círculo Monárquico Princesa Isabel. Dia 24 de novembro, às 15 horas, na Avenida Tiradentes, em frente à Catedral.

Pautas: PEC 410/2018, PEC da Bengala, Impeachment de Dias Tófolli, PEC 5/2019 da Senadora Selma Arruda.

Os organizadores convidaram Luciano Hang, Pedro Zonta, Filipe Barros, Marisa Lobo e Sargento Fahur.

 

VIGÍLIA PELO GOVERNO BOLSONARO

Movimentos da direita e a OPEM estudam realizar um evento de oração em favor do ­­­governo Bolsonaro.

A ideia é organizar uma noite de vigília. 

Notícias da mesma editoria