A bola vai para o Congresso Nacional
Acompanhe O Assunto é política com Diniz Neto, de segunda a sexta, às 09h40 e às 14h20

O Assunto é Política

A bola vai para o Congresso Nacional

Por Daniel Santos em 08/11/2019 - 10:09

 

Player Ouça o boletim

8 de novembro, sexta-feira. Faltam 53 dias para o fim do ano.

 

DIA MUNDIAL DO URBANISMO

A data surgiu na Argentina, em Buenos Aires, em 1934, por Carlos María della Paolera, o primeiro sul-americano a se formar no Instituto de Urbanismo da Universidade de Paris. Ele defendia a construção de um urbanismo científico ou seja, o planejamento das cidades deveria ser tratado como uma ciência a fim de torná-la mais eficiente para seus cidadãos.

Em 1949, a Organização Nacional das Nações Unidas (ONU) decide adotar esta data no seu calendário e mais de 30 países seguem esta recomendação. O Brasil comemora o dia do Urbanismo desde 1987, quando foi oficializada pelo presidente José Sarney.

 

DIA DO RADIOLOGISTA

Em 8 de novembro de 1895, o físico alemão Wilhehm Conrad Roentgen começou a fazer experiências em seu laboratório na Universidade de Wurzburg. Sem saber, Roentgen estava criando uma das maiores descobertas da medicina contemporânea.

Em 22 de dezembro do mesmo ano, Roentgen usou a radiação para fotografar os ossos da mão de sua esposa. Sem saber ao certo o tipo de "raio" capaz de fazer tal feito, o alemão chamou a invenção de "Raio-X", sendo que o "X" sempre foi usado para indicar aquilo que é indeterminado ou desconhecido.

Pela descoberta, que aperfeiçoou, Roentgen recebeu o Prêmio Nobel de Física, em 1903, por ter criado o "Raio-X".

Os profissionais da área decidiram estabelecer o dia 8 de novembro como o Dia do Radiologista, a data em que o cientista começou os estudos que levaram a descoberta de um dos aparelhos mais importantes do século XX.

 

QUEDA DO MURO DE BERLIM

O Muro de Berlim começou a ser derrubado na noite de 9 de novembro de 1989. Mas no dia 8 de novembro, já estava tomado por uma multidão.

Foram 28 anos de histórias de separação e terror.

 

Na coluna de hoje:

- A BOLA ESTÁ COM O CONGRESSO NACIONAL

- RICARDINHO DO VÔLEI PODERÁ SER CANDIDATO A VERADOR

- SERRA É PRÉ-CANDIDATO

- CARLOS ALENCAR

- UMA MULHER CANDIDATA A PREFEITA

- DEFESA DA IMPRENSA

- REPETECO

- SILÊNCIO

- MEDO DE QUE?

- SEGUNDO TURNO PARA O SISMMAR

 

 

A BOLA ESTÁ COM O CONGRESSO NACIONAL

Com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de barrar a possibilidade de cumprimento da pena após condenação em segunda instância, o deputado federal Rubens Bueno (Cidadania-PR) afirmou nesta quinta-feira, 7, que, agora, “a bola está com o Congresso Nacional”. Em sua avaliação, é dever do Parlamento alterar a Constituição para definir claramente essa hipótese no texto da carta magna.

“O Congresso precisa bater esse pênalti e marcar sua posição. Não podemos ficar o tempo todo dependendo de revisões de um VAR”, comparou o parlamentar, ao lembrar das propostas de emenda à Constituição que tramitam na Câmara e no Senado sobre o tema e das mudanças de entendimento do STF sobre essa questão.

Rubens Bueno, que é a favor da prisão após condenação em segunda instância, destacou que mesmo que muitos não gostem, o Supremo cumpriu seu papel ao analisar a Constituição.

 

RICARDINHO DO VÔLEI PODERÁ SER CANDIDATO A VERADOR

Ricardo Bermudez Garcia, o Ricardinho do Vôlei, tem convites para ser candidato a vereador.

Ainda não tenho confirmação do seu interesse. Vou continuar acompanhando.

 

SERRA É PRÉ-CANDIDATO

Edvaldo Alves Silva, o Serra, será candidato a vereador e está em pré-campanha.

Conhecido como atleta de futebol e futsal, foi campeão paranaense e representou Maringá em 10 Jogos Abertos.

Foi presidente do Clube Olímpico de Maringá, de 2001 a 2005.

Considero o Serra um dos mais fortes pré-candidatos, com grandes possibilidades de eleição.

 

CARLOS ALENCAR

O advogado Carlos Alencar é pré-candidato a vereador. Deverá estar na chapa do partido Republicanos, o antigo PRB, coordenado em Maringá por Walter Guerlles.

 

UMA MULHER CANDIDATA A PREFEITA

O assunto ainda é tratado em bastidores, mas uma fonte de muita credibilidade me falou que está definido. Akemi Nishimori será candidata a prefeita de Maringá.

 

DEFESA DA IMPRENSA          

O blogueiro Zé Beto publicou uma nota “A indignação dos injustiçados”. Escreveu ele:

“Os nobres deputados da ínclita Assembleia Legislativa do Paraná estão indignados com a RPC – Rede Paranaense de Comunicação, braço paranaense da Rede Globo de Televisão. E o que teria feito o pessoal da RPC para indignar suas excelências? Ora, teve o desplante de informar o distinto público que os eminentes parlamentares estavam recebendo verba de alimentação – paga, claro, com o nosso dinheiro –, ainda que morem e desempenhem suas funções nesta Capital.

Quer dizer, a rapaziada do jornalismo da RPC exerceu a sua atividade e cumpriu o seu dever, noticiando o que está sendo feito com o dinheiro do contribuinte, e isso melindrou os representantes da patuleia?!

Onze dos dignos deputados, incluindo o presidente “da Casa” – como gostam de sublinhar –, manifestaram o seu “repúdio”, taxando a cobertura da RPC/Globo de “sensacionalista e tendenciosa”. E elegeram o deputado Homero Marchese como traidor da classe por estar subsidiando a escandalosa emissora.”

 

REPETECO

O que aconteceu na Assembleia Legislativa do Paraná parece repetição do que aconteceu, mais de uma vez, recentemente, na Câmara de Maringá.

Não satisfeitos com uma reportagem ou uma opinião, a reação é repudiar a agredir jornalistas e veículos de comunicação.

Da mesma forma, alguns deputados se voltam contra Homero Marchese porque ele, em entrevistas, falou a verdade e também porque está defendendo a redução das verbas indenizatórias garantidas aos parlamentares.

Em Maringá, ganhou uma Comissão Processante porque trabalhava na investigação profunda da falta de vagas para crianças de zero a três anos nos CMEIs (creches) de Maringá.

 

SILÊNCIO

Na Assembleia Legislativa tenho certeza que Homero e mais deputados defenderão a imprensa e também lutarão pela redução de gastos, com novas normas mais racionais e eficientes. Estarão ao lado do que a população do Paraná quer e exige.

Na Câmara de Maringá, entretanto, em episódios recentes de ataques a profissionais de imprensa, nenhum vereador fez uso da palavra para defender quem está realizando seu trabalho de forma correta, para informar e cumprir a missão do jornalismo.

 

MEDO DE QUE?

Por que este silêncio dos vereadores em Maringá?

Estaria ligado a algum receio de se repetir com eles o que aconteceu com o então vereador Homero Marchese?

O que, de fato, aconteceu com Homero Marchese na Câmara?

Foi, possivelmente, o episódio mais covarde e repugnante da história política de Maringá. Tão ardiloso e poderoso que parece se manter como um fantasma sobre a Câmara, intimidando e silenciando aqueles que foram eleitos para defender o que é certo, o que é justo, o que é melhor para os maringaenses e para Maringá.

 

DEPUTADOS IRRITADOS

Na Assembleia Legislativa, muitos deputados estaduais não gostaram do substitutivo do vereador Homero Marquese em proposta de regulamentação das verbas indenizatórias. Também não gostaram de reportagem da RPC que revelou que parlamentares que moram em Curitiba gastam verbas de alimentação.

A reação de alguns deputados foi semelhante a uma ocorrida recentemente na Câmara de Maringá, em reportagem que ouviu maringaenses sobre o que pensam e como avaliam a Câmara Municipal e os vereadores.

Os deputados não perdoam Homero Marchese por ele defender redução de gastos dos parlamentares. Neste caso, quem está na defesa da população e do dinheiro público é o deputado maringaense.

Na tribuna ele reafirmou que ninguém vai dizer a ele o que falar e o que dizer. Disse que continuará atuando como sempre fez, de acordo com o que considera importante, relevante e certo.

Neste caso, Homero está alinhado com a tendência da equipe econômica do governo federal, que propões racionalização de gastos. Linha, aliás, aprovada pelos eleitores nas urnas, no ano passado.

Importante que os paranaenses entendam o que está acontecendo na Assembleia, quem está propondo economia e quem quer manter verbas e privilégios.

 

SEGUNDO TURNO PARA O SISMMAR

Prossegue nesta sexta-feira, 8, a eleição para segundo turno da eleição da diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Maringá (SISMMAR).

O resultado deverá ser conhecido na madrugada ou na manhã deste sábado.

A disputa é entre a chapa 1, que busca a reeleição da sua presidente, e a chapa 2, de oposição.

 

Notícias da mesma editoria