Sistema binário completa 10 anos em Maringá
Avenidas São Paulo e Paraná receberam o sistema binário no dia 27 de janeiro de 2010. Foto: Roberto Fan/PMM

Trânsito

Sistema binário completa 10 anos em Maringá

Trânsito por Portal GMC Online em 07/01/2020 - 19:00

No começo teve muita gente que reclamou. Mas, aos poucos, os motoristas e pedestres foram se adequando ao sistema binário implantado em Maringá em 2010 e hoje ele é alvo de elogios

“Facilitou muito, a gente consegue manter uma velocidade legal e chegar rápido nos lugares, principalmente nos horários de pico. Quando vou para o Centro sempre procuro pegar essas vias”, diz a vendedora Luciana Silva.

Transformar vias paralelas em mão única foi uma solução encontrada pela prefeitura da cidade para dar mais fluidez ao trânsito. A implantação começou em janeiro de 2010 e, neste mês, está completando dez anos de funcionamento.

O novo sistema de trânsito foi inserido no quadrilátero central de Maringá, composto pelas avenidas Paraná, Herval, São Paulo e Duque de Caxias, o que provocou a alteração de sentido de várias ruas, que passaram a ter mão única.

O secretário de Trânsito da época, Walter Guerlles, lembra que a transição foi difícil, mas essencial para otimizar o tráfego dentro da cidade.

“Se isso não tivesse sido feito, hoje seria uma dificuldade enorme. Nosso trânsito era precário. Apesar das reclamações, dos impasses, dentro de pouco tempo as pessoas entenderam que havia a necessidade de mudança”, recorda.

Na sequência, outras vias foram ganhando o sistema binário em Maringá. Recentemente, em 4 de novembro de 2019, as avenidas Guedner e Londrina passaram a ter sentido único.

 

Onda verde e agulhas 

Junto com o sistema binário foi introduzida a chamada onda verde, que é a sincronização dos semáforos, permitindo que os motoristas peguem praticamente todos os semáforos das avenidas abertos, o que desafoga o trânsito.

 No quadrilátero central de Maringá, os semáforos são sincronizados para garantir a onda verde aos veículos a 50 km/h.

Para não prejudicar a transposição de veículos de um lado da avenida para o outro, foram implementadas agulhas que permitem a conversão à direita ou à esquerda.

Por Nailena Faian / Portal GMC Online