Sessões são suspensas para poupar vereadores que fazem parte de grupo de risco
Câmara de Vereadores de Maringá | Foto: Reprodução/Facebook

Legislativo

Sessões são suspensas para poupar vereadores que fazem parte de grupo de risco

Política por Luciana Peña em 02/04/2020 - 09:57

As últimas sessões da Câmara Municipal de Maringá estavam sendo realizadas com apenas dez parlamentares.  Suspensão vale até dia 17. Caso haja pauta urgente será convocada sessão extraordinária. Mas será que vereadores também serão poupados da pressão social para que o Poder Público dê sua cota de sacrifício neste momento de combate ao coronavírus?


Ouça a reportagem completa:

 

Esta quinta-feira seria dia de sessão na Câmara Municipal de Maringá. Mas as sessões foram suspensas até dia 17.

A medida foi tomada em consenso como prevenção ao coronavírus e para poupar os vereadores que fazem parte de grupos de risco. Nas últimas sessões o quórum já estava pequeno, com apenas dez vereadores.  

O vereador Dr Jamal, que é médico, está doente, com gripe forte.

O próprio presidente Mário Hossokawa é de grupo de risco. [ouça no áudio acima]

Legislativos de todo o país estão se adequando ao trabalho em casa. 

As votações no Congresso Nacional e na Assembleia Legislativa do Paraná estão sendo realizadas pela internet. 

Mas esta alternativa não será adotada em Maringá. Por questões técnicas, diz Hossokawa. [ouça no áudio acima]

A saída, se até dia 17 surgir uma pauta urgente, será convocar às pressas uma sessão extraordinária. [ouça no áudio acima]

Nos bastidores, a suspensão das sessões traz certo alívio aos vereadores que estavam sendo bombardeados por críticas por causa do reajuste de 4,3% nos subsídios. 

Hossokawa diz que este assunto está superado e não pesou na decisão de suspender as sessões. [ouça no áudio acima]

Sobre a cobrança da sociedade para que o Poder Público dê sua cota de sacrifício neste período,  o presidente disse que os vereadores e a população em geral podem doar recursos para o combate ao coronavírus por meio do Fundo de Enfrentamento ao Covid-19, aprovado na Câmara.  

Em relação aos dias parados, durante o período de suspensão das sessões, não haverá desconto nos subsídios por se tratar de uma questão de saúde pública.