Prefeitura espera bom senso no transporte público em Maringá
Executivo diz que não irá fiscalizar cada um dos usuários (Foto: Márcio Naka/PMM)

Restrições

Prefeitura espera bom senso no transporte público em Maringá

Cidade por Victor Simião em 10/07/2020 - 18:28

Neste sábado (11) e domingo (11), só podem utilizar o ônibus quem for trabalhar ou situações de emergência, conforme decreto. Executivo diz que não irá fiscalizar cada um dos usuários.

Neste sábado (11) e domingo (12) e no próximo fim de semana, o transporte público de Maringá terá restrições. De acordo com um decreto feito nesta semana pela Prefeitura, os ônibus só poderão ser utilizados por quem for trabalhar ou em uma situação de emergência. A medida foi tomada para diminuir o contágio de coronavírus na cidade.

O decreto não informa se haverá fiscalização para saber se quem está no transporte cumpre a determinação. A assessoria de imprensa da Prefeitura de Maringá informou à CBN nesta sexta-feira (10) que não haverá fiscalização. O município espera que haja bom senso e que o cidadão só se desloque se for necessário. O Executivo não pode impedir o direito sagrado de ir e vir, disse a assessoria.

A decisão quanto ao funcionamento do transporte público teve duas medidas nesta semana. Na segunda-feira (06), a Prefeitura editou um decreto suspendendo os ônibus por duas semanas, aos finais de semana. Segundo o poder público, a medida era para reduzir o contágio do novo coronavírus na cidade. A decisão foi muito criticada por maringaenses e vereadores, principalmente porque o funcionamento dos serviços essenciais, como na área da saúde, continuaria.

A Prefeitura de Maringá, então, voltou atrás. Em novo decreto, publicado na tarde de quarta-feira (08), o poder público autorizou a volta do serviço de transporte público aos sábados e domingos para os trabalhadores ou emergências.

O transporte metropolitano não foi suspenso em momento algum.

Dados da Secretaria de Mobilidade Urbana informam que por dia, em média, 30 mil pessoas têm usado o transporte coletivo neste período de pandemia. Aos finais de semana, o número fica em torno de 10 mil.

Desde o início da pandemia, a TCCC reduziu a frota em torno de 60% do que rodava diariamente. Agora, são 150 ônibus. Em razão disso, houve alteração de horários. Em um primeiro momento, a empresa acionou a Justiça para que a Prefeitura de Maringá ajudasse financeiramente, já que tem havido prejuízos. A direção, agora, já disse à CBN que tem havido conversas com o Executivo, mas nada concreto.

Há cerca de 20 dias, um decreto da Prefeitura determinou que os ônibus da TCCC só transportem passageiros sentados; se houver alguém em pé, pode haver multa. Até o momento, o Executivo não notificou a empresa por descumprir essa medida.

A CBN apurou que tem havido a tolerância de uma ou duas pessoas de pé nos ônibus, já que, como tem havido menos linhas devido à pandemia, se o usuário não pegar o ônibus em determinado horário, deverá esperar mais do que o normal para conseguir entrar em outro.

Até a tarde desta sexta-feira (10), Maringá já tinha registrado 29 mortes em razão do novo coronavírus e mais de dois mil casos confirmados da doença.