Prefeitura assina convênio e Colombo vai ganhar radares em até 4 meses
Os radares poderão ser instalados a qualquer momento, conforme prevê o convênio - Foto: PMM

Maringá

Prefeitura assina convênio e Colombo vai ganhar radares em até 4 meses

Trânsito por Portal GMC Online em 11/02/2020 - 15:58

O prefeito de Maringá, Ulisses Maia, e o secretário de Mobilidade Urbana (Semob), Gilberto Purpur, assinaram na última sexta-feira, 7, o convênio com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) para a instalação de radares na Avenida Colombo, o trecho urbano da BR-376, em Maringá.

De acordo com Purpur, os radares poderão ser instalados a qualquer momento, conforme prevê o convênio. O secretário acredita que em até quatro meses pelo menos 10 radares já estejam funcionando na Colombo.

“Só dependemos agora do prazo que a empresa vai pedir para fabricar os radares e da burocracia de instalação. Temos um contrato vigente com uma empresa e neste contrato prevê que podemos solicitar até mais dez radares. Vamos providenciar os equipamentos para instalar na Colombo”, afirmou o secretário Gilberto Purpur, ao GMC Online.

Inicialmente a prefeitura vai instalar 10 radares fixos de velocidade e 8 câmeras que registram o avanço de sinal em cruzamentos. O trecho urbano da BR-376 está há nove anos sem radares fixos de velocidade. Somente a PRF faz a fiscalização, mas com radares móveis e em alguns dias da semana somente por conta da falta de efetivo.

“A Polícia Rodoviária faz um excelente trabalho na Colombo dentro do que eles conseguem, mas nada melhor que ter radares fixos. Desse jeito não tem como o motorista descuidar da velocidade. A Colombo é um dos dez trechos mais perigosos em rodovias federais do Brasil. Isso precisa acabar”, acrescentou Purpur.

 

Recursos de multas ficarão à cargo da prefeitura

A Semob deve ganhar um departamento novo após a instalação dos radares na Avenida Colombo. É que a avaliação dos recursos dessas multas ficará à cargo da secretaria. Um membro da Polícia Rodoviária Federal vai acompanhar.

 

O que prevê o convênio

O documento assinado entre o Município e a PRF prevê que a prefeitura avise os motoristas 30 dias antes do início da instalação dos radares. E na divisão dos valores de multas a Prefeitura de Maringá ficará com 65%, a Polícia Rodoviária Federal com 30% e o Fundo Nacional de Segurança e Educação de Trânsito (Funset) ficará com 5% dos valores.

“A Prefeitura fica com a maior parte por conta das despesas que serão todas por conta do município. E não são despesas baratas. O município fica com a função de contratar equipamentos, emitir multas, enviar via correios e outros”, disse Gilberto Purpur, secretário da Semob.

 

Por: Fábio Guillen/GMC Online