Padre monsenhor Orivaldo Robles morre aos 77 anos, em Maringá
Reprodução/Facebook

Luto

Padre monsenhor Orivaldo Robles morre aos 77 anos, em Maringá

Cidade por Portal GMC Online em 21/01/2019 - 10:37

Faleceu na manhã desta segunda-feira (21), o monsenhor Orivaldo Robles, que desde 2009 exercia a função de vigário paroquial da Catedral Metropolitana de Maringá. O velório será realizado na Catedral no início da noite.

Em breve, detalhes sobre o horário preciso do início do velório e das missas de Corpo Presente serão divulgados, segundo informou a administração da Catedral.

Em 2014, o religioso chegou a ser internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), vítima de uma pneumonia.

Já em maio de 2018, ele passou mal durante uma celebração e precisou ser hospitalizado.

Trajetória

Filho de Antônio Robles (1914-1982) e de Luzia Gonsales Robles (1916-2010). Nasceu em Polôni (SP), em 6 de maio de 1941. No Estado de São Paulo, cursou o 1º grau em Jales e Polôni e ingressou no Seminário Nossa Senhora da Paz, na cidade de São José do Rio Preto, em 1953.

Com a mudança da família para o Paraná (1957), veio concluir o antigo segundo grau no Seminário São José, em Curitiba. Ainda em Curitiba cursou Filosoa e Teologia. Foi ordenado padre por Dom Jaime Luiz Coelho, em Maringá, no dia 07 de dezembro de 1966. Tem o curso de Filosofia reconhecido pela USP.

Lecionou no Colégio Estadual Dr. Gastão Vidigal, e no Instituto de Educação, em Maringá, assim como em Estabelecimentos ociais de ensino de Paranacity (Ginásio e Escola Normal), quando pároco daquela cidade (1970-72).

Por quase onze anos trabalhou como pároco de Marialva, de onde saiu no início de 1983 para assumir, pelo espaço de seis anos, o cargo de reitor do Seminário Arquidiocesano Nossa Senhora da Glória – Instituto de Filosofia de Maringá.

Em Bogotá (Colômbia) e em Toluca (México) participou do IV e do V Cursos para Formadores, promovidos pelo DEVYM – Departamento de Vocaciones y Ministerios, do CELAM – Conselho Episcopal Latino-americano.

Em 22 de janeiro de 1989 assumiu a Paróquia Santa Maria Goretti, em Maringá, onde trabalhou por mais de 20 anos. Por ocasião do cinquentenário da Diocese de Maringá, em 2007, publicou o livro “A Igreja que Brotou da Mata – Os 50 anos da Diocese de Maringá”, com 352 páginas, que narra a história da Igreja Católica, desde 1610, no Norte do Paraná, especialmente na região de Maringá.

Em 2012 teve publicado o livro “Celeiro Desprovido”, com 270 páginas, contendo 118 crônicas e artigos escritos desde 1995.

Fonte: Portal GMC Online

atualização às 14h07: Nessa segunda-feira (21) serão celebradas missas na Catedral às 18h30 e 21h. A igreja ficará aberta durante a noite toda. A previsão é que o corpo chegue à Catedral no começo da noite.

Nessa terça-feira (22) serão celebradas missas de corpo presente às 7h, 9h, 12h e 15h. Após a Santa Missa das 15h o corpo do monsenho Orivaldo Robles será levado ao Cemitério Rainha da Paz, onde será sepultado. O Cemitério Rainha da Paz fica na rua Distrito Federal, 1089.

A assessoria da Arquidiocese informou que o arcebispo Dom Anua Battisti pede que ao invés de coroas de flores, quem quiser prestar homenagem ao monsenhor Orivaldo, que faça com doações na secretaria da Catedral, em prol do Albergue Santa Luiza Marillac.