Pacientes deixam recados aos familiares antes de serem entubados
Pacientes da covid-19 deixam recados aos familiares antes de serem entubados. Foto: Ilustrativa/Rovena Rosa/Agência Brasil

Covid-19

Pacientes deixam recados aos familiares antes de serem entubados

Saúde por Portal GMC Online em 18/04/2021 - 08:15

Dentro das UTIs de Maringá, os médicos se deparam com os mais diversos desabafos e pedidos de pacientes da covid-19. Com medo de não retornarem para casa, alguns deixam recados aos familiares antes de serem entubados. Para alguns deles, aquelas foram realmente as últimas palavras; outros se recuperaram e voltaram para seus pais, irmãos, maridos, esposas, filhos e amigos.

Em entrevista ao GMC Online, o médico cirurgião geral Marcos Rogério Bitencourt, que trabalha desde março do ano passado na UTI exclusiva para pacientes com covid-19 do Hospital Municipal de Maringá, relembrou um caso de uma paciente que deixou instruções sobre seus recursos financeiros, que deveriam ser repassadas aos familiares.

 “Antes de ser entubada, ela escreveu toda a questão financeira dela, para deixar algum dinheiro com essa e essa pessoa. Tinha um veículo que era para deixar para outra pessoa, que segundo ela era uma pessoa muito boa, além de algumas contas que ela pediu para serem pagas, já que não sabia se voltaria. E realmente ela não voltou. Ela evoluiu para a forma grave da doença, intubação orotraqueal, depois insuficiência renal e acabou evoluindo a óbito. Então foi a preocupação e principalmente querer ajudar algumas pessoas que ela achava que eram boas pessoas e querer designar esses recursos financeiros nos chamou a atenção”, detalha.

A médica infectologista Ana Cristina Medeiros Gurgel, que atua no Hospital Municipal de Maringá, no Santa Rita, no Bom Samaritano e no Hospital Psiquiátrico, também precisou repassar o adeus de um paciente da covid-19 para os familiares.

“São muitas histórias de pacientes que deixam recados aos familiares, mas a mais recente foi de um paciente que passou o número da conta do banco dele e pediu para dizer para a família que os amava. Isso é muito comum e a gente sempre faz. Às vezes, a gente consegue fazer chamada de vídeo, se o paciente não está muito cansado, ou mostrar vídeo da família para ele. A covid-19 é uma doença muito solitária e, naquele momento, o paciente só tem a gente do lado. Esse paciente era muito religioso, e sabendo que aquele podia ser o último momento dele, fizemos uma oração com ele. Eu senti que ele também tinha noção de que podia ser o último momento, e realmente foi”, relembra emocionada.

O médico intensivista Márcio Ronaldo relembra o caso de um paciente que está entubado e deixou um recado para a noiva: “Estamos com um paciente de 32 anos, sem doença alguma, que está grave, entubado e com traqueostomia. Ele está noivo e antes de ser entubado disse que sairia dessa para casar com ela, e pediu para dizermos à noiva que era para ela esperar ele. Achei bacana essa força de vontade, e se Deus quiser vamos tirar ele dessa. O que mais vemos são pacientes que pedem para dizer que amam a família e que vão sair dessa. São dramas diários”, relata.

Já o médico da UTI do Bom Samaritano e ex-secretário de Saúde de Maringá, Jair Biato, relembra uma história que teve um final feliz: “A história que mais marcou foi  de uma mãe que tinha ganhado um bebê há cerca de seis meses e precisou ir para a UTI com covid-19. Quando fui entubar, estava eu e a enfermeira, e ela disse que se ela morresse era para dizer para o marido e para o bebê que ela amava muito eles, e pedir para o marido cuidar muito bem do bebê, já que ela não poderia. A enfermeira começou a chorar na hora, estava muito nervosa, coitada, e tivemos que segurar firme para poder realizar a entubação. Graças a Deus essa mãe conseguiu sair da UTI e voltou para casa depois de 30 dias internada”, comemora.

Reportagem de Lethícia Conegero e Fábio Guillen

Acesse GMC Online

Quer enviar sugestão, comentário, foto ou vídeo para a CBN Maringá? Faça contato pelo WhatsApp (44) 99877 9550