Orçamento da Prefeitura de Maringá será de 1,8 bilhão em 2021
Imagem Ilustrativa | Foto: Cléber França/GMC Online

Definido

Orçamento da Prefeitura de Maringá será de 1,8 bilhão em 2021

Cidade por Victor Simião em 28/09/2020 - 14:57

No comparativo com o de 2020, o aumento percentual é de 4,9%. Houve redução de 8% na saúde. De acordo com a Fazenda, a projeção é conservadora devido ao momento da pandemia. Proposta da Lei Orçamentária Anual deve ser enviada à Câmara de Vereadores.

A Prefeitura de Maringá definiu o orçamento 2021. Nele, previsão é que o município tenha à disposição R$ 1,833 bilhão. O dado foi apresentado em audiência pública online. Em 2020, a previsão do Executivo foi de R$ 1,794 bilhão. No comparativo, portanto, o aumento do orçamento é de 4,9%.

A previsão é uma forma de controle que a prefeitura faz. Nele, informa que terá gastos de R$ 1,8 bilhão e arrecadação de R$ 1,8 bilhão. Ao longo do ano, entretanto, tudo pode mudar.

Devido à Lei de Responsabilidade Fiscal, o orçamento deve ser enviado à Câmara de Maringá até o dia 30 de setembro. Lá, pode passar por alterações antes de ser aprovado.

De acordo com o secretário de Fazenda de Maringá, Orlando Chiqueto, a previsão para 2021 foi ‘conservadora’. O motivo, segundo ele, foi a pandemia deste ano. [ouça no áudio acima]

Na estimativa do município, R$ 601 milhões de receitas virão de recursos livres. Em resumo, são impostos como IPTU e ITBI.

De modo geral, todas as secretarias tiveram aumento de orçamento. A que mais recebeu foi a de esportes. Em 2020, tinha à disposição R$ 36 milhões. No ano que vem, serão R$ 67 milhões. O aumento ocorre por conta da chegada de empréstimos para reformas e ampliações em estruturas do setor.

A área da educação teve aumento de 4,4% no orçamento. Neste ano, foram R$ 334 milhões. Em 2021, serão R$ 349 milhões. Já a saúde teve redução de 8%. Em 2020, são R$ 530 milhões. Para o ano que vem, R$ 485 milhões. De acordo com o município, é que, neste ano, havia R$ 70 milhões a mais que o normal por conta do Hospital da Criança.

Tanto saúde quanto educação estão com percentuais acima do exigido pela Constituição.

O gasto com pessoal previsto para o ano que vem é de R$ 878 milhões.