No fim de semana, 52 estabelecimentos são fechados em Maringá após descumprirem decretos
Foto: Andye Iore/Prefeitura de Maringá

Fiscalização

No fim de semana, 52 estabelecimentos são fechados em Maringá após descumprirem decretos

Cidade por Monique Manganaro/GMC Online em 13/07/2020 - 11:39

Dezenas de estabelecimentos comerciais foram vistoriados pelas equipes de fiscalização da Prefeitura de Maringá no fim de semana. O trabalho intenso era para garantir que todos os comerciantes estivessem cumprindo os decretos municipais que proibiram ou restringiram o atendimento em diferentes estabelecimentos. 

Segundo a prefeitura, a fiscalização recebeu 581 denúncias entre sexta-feira, 10, e domingo, 12. No total, foram feitas 233 vistorias e 52 estabelecimentos foram fechados. Muitos continuaram trabalhando mesmo com a ordem de fechamento e alguns, inclusive, estavam atendendo clientes no local. 

Os flagrantes das equipes aconteceram em bares, lanchonetes, açougues, sorveterias, disque cerveja, panificadoras, entre outros, conforme a prefeitura. Os fiscais ainda encontraram festas acontecendo e aglomerações em espaços públicos. 

Neste domingo, a vistoria a um açougue da Avenida Pedro Taques causou confusão. O local, que deveria atender apenas via delivery, tinha clientes sendo atendidos e seguia com as portas abertas. As equipes foram, então, orientar o comerciante da irregularidade, mas de acordo com a fiscalização, ele se exaltou e questionou fiscais. A Polícia Militar (PM) precisou intervir para que as equipes pudesse continuar o trabalho. 

“Para piorar situação, açougue interditou calçada em frente ao estabelecimento, chegando a bloquear parte da rua também”, detalhou a prefeitura. Após a vistoria, os funcionários do estabelecimento foram orientados a liberar rua e calçada e fazer os atendimentos apenas por delivery. 

O caso, conforme a fiscalização, foi registrado em fotos e vídeos e repassado à Secretaria da Fazenda. 

Além das penalidades aplicadas a comércios, as equipes também multaram quatro pessoas que foram flagradas descumprindo o toque de recolher e o uso obrigatório de máscara.