Menino atingido por trave de gol na cabeça recebe alta do hospital em Maringá
Kendy Lucas vai começar a fazer fisioterapia para recuperar movimentos das pernas – Foto: Diane Tieme

Em recuperação

Menino atingido por trave de gol na cabeça recebe alta do hospital em Maringá

Paraná por Fabio Guillen/GMC Online em 16/08/2021 - 20:51

O menino, de 7 anos, que ficou gravemente ferido ao ser atingido por uma trave de gol em Doutor Camargo recebeu alta do hospital em Maringá nesta segunda-feira (16). Kendy Lucas teve traumatismo craniano grave, foi socorrido de helicóptero pelo Samu minutos após o acidente e sobreviveu. 

O menino brincava com os coleguinhas em um campo público quando a trave do gol que estava solta caiu sobre ele. O acidente aconteceu no dia 29 de julho deste ano. Kendy Lucas foi direto para a UTI do Hospital Universitário (HU) de Maringá, onde respondeu ao tratamento. A mãe da criança, Diane Tieme, de 37 anos, acredita que o filho foi protagonista de um milagre. 

“Foram momentos muito difíceis, foi uma mistura de sentimentos, um verdadeiro milagre. De todo o tempo que ele esteve na UTI, desde o resgate com o Dr. Maurício, que falou que salvaria meu filho, no hospital toda aquela equipe médica em cima do meu filho. Eles até me falaram que meu filho era o caso mais grave. Nossa vida parou ali. Meu filho é um milagre, eu não tenho dúvida que ele é um milagre. Ele respondeu a tudo e voltou falando. Hoje ele está se recuperando. É uma recuperação lenta, devagar, ele não está andando por enquanto, mas acredito que ele vai andar sim”, disse a mãe. 

Diane Tieme está cuidando do filho, que deve começar as sessões de fisioterapia ainda esta semana. Kendy Lucas não consegue andar, por enquanto, mas os médicos acreditam que com a ajuda da fisioterapia ele consiga desenvolver os movimentos das pernas novamente. 

O médico que trabalhou no resgate do menino, Maurício Lemos, da base aérea do Samu de Maringá, disse que a situação dele era muito grave por conta do traumatismo craniano. O menino precisou ser intubado na cena do acidente, segundo o médico intervencionista. 

“O atendimento e o resgate dessa criança foi um evento que nos marcou devido à gravidade e, principalmente, à situação de cena dos familiares todos tensos. A criança estava inconsciente, com a via aérea totalmente obstruída porque ela vomitou e broncoaspirou massivamente, além do traumatismo craniano que causou tudo isso. Nós chegamos, fornecemos os protocolos de segurança, orientamos a família e trouxemos a confiança deles pra gente. Realizamos os procedimentos fundamentais, que era a intubação orotraqueal naquele momento e tivemos um sucesso muito grande. Quando chegamos no hospital a gente tinha a certeza que era um caso muito grave, mas a fé e a fundamentação de um atendimento rápido e protocolar nos alicerçavam pra dizer que essa criança tinha tudo para sair viva. E foi isso que aconteceu”, comentou o médico Maurício Lemos. 

A mãe do menino, Diane Tieme, agradeceu a todos que participaram do resgate e do atendimento do filho até a alta hospitalar. 

“Quero agradecer primeiramente a Deus, à Santa Rita de Cássia das causas impossíveis que ela esteve presente o tempo todo cuidando dele. Meu filho falou isso quando acordou. Agradecer ao Dr. Maurício e a equipe dele, a toda equipe do Hospital HU onde se encontram excelentes profissionais. Gostaria muito que a parte pública olhasse mais por eles. Os profissionais da saúde deveriam ser mais reconhecidos que jogadores de futebol, ator ou atriz. Agradeço também a todos que oraram pelo meu filho”, disse a mãe do menino. 

Acesse GMC Online

Quer enviar sugestão, comentário, foto ou vídeo para a CBN Maringá? Faça contato pelo WhatsApp (44) 99877 9550

O médico intervencionista Maurício Lemos e Kendy Lucas no HU de Maringá – Foto: Arquivo pessoal
O médico intervencionista Maurício Lemos e Kendy Lucas no HU de Maringá – Foto: Arquivo pessoal