Maringaense terá R$ 1,5 bilhão a menos para gastar em 2020, diz estudo
Foto: Arquivo / 2019 / ACIM

Consumo

Maringaense terá R$ 1,5 bilhão a menos para gastar em 2020, diz estudo

Economia por Fabio Guillen/GMC Online em 09/05/2020 - 10:40

O maringaense terá R$ 1,5 bi a menos para gastar em 2020, segundo dados do IPC Maps, calculados com base no levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os números foram obtidos com exclusividade pelo GMC Online neste sábado, 9.

Em valores reais, o potencial de consumo das famílias de Maringá caiu de R$ 15,6 bilhões em 2019 para R$ 13,6 bilhões em 2020, uma queda nominal de 12,57%.

Maringá ocupava em 2019 a posição de número 40 no ranking dos maiores centros de consumo do Brasil, mas em 2020 caiu para 46, perdendo 6 posições. O ranking de todas as cidades deve ser divulgado na próxima semana pela IPC Marketing Editora.

O responsável pela consultoria e participante do estudo, o economista Marcos Pazzini, explicou ao GMC Online como eles chegaram a esses números, avaliando as estatísticas oferecidas pelo IBGE.

“A gente avalia todos os números da economia nacional até 2019 e a partir desses números fazemos uma estimativa do que pode acontecer na economia brasileira em 2020. Daí fazemos a distribuição desses valores para cada município brasileiro levando em consideração a estrutura domiciliar urbana por classe econômica e domicílios rurais. Quanto mais domicílios o município tem nas classes mais altas maior será o potencial de consumo que ele vai apresentar no ano”, explicou Pazzini.

Pazzini explicou ainda que, mesmo com essa queda no potencial de consumo, Maringá continua grande no cenário nacional. A queda na estimativa de consumo tem relação total com a crise provocada pelo novo coronavírus.

“Maringá está muito bem em relação à média do Brasil. Se você avaliar vai ver que Maringá é uma grande região de consumo. Só vai sofrer um pouco mais esse ano por conta de toda essa movimentação na economia que a gente está observando em todas as regiões. Grandes mercados tendem sofrer mais com a crise do coronavírus”, comentou.

 

Quais as áreas em que os maringaenses mais vão investir em 2020?

De acordo com o estudo a maior fatia de consumo do maringaense este ano está na habitação, onde os moradores devem gastar mais de R$ 3 bilhões, seguido de veículo próprio, com estimativa de mais de R$ 2 bilhões e alimentação em casa, onde o gasto deverá passar de R$ 1,1 bilhão.

 

Maringá perdeu mais de 7 mil empresas em 12 meses

Ainda segundo o estudo, a quantidade de empresas de Maringá também teve queda. A perda foi de 7.549 empresas de todos os segmentos. Mas o que mais houve fechamentos foi o comércio que perdeu 5.659 empresas (-23,7%), em seguida a indústria, com queda de 1.556 empresas (-11,0%).

De acordo com Pazzini, embora o número pareça alto, não se pode ver somente pelo lado negativo.

“Muitas empresas estão somente no papel. É uma estratégia que grandes empresas praticam quando aumentam muito o faturamento. Eles criam novas empresas para distribuir faturamento. No meu ponto de vista essa redução não deve ser negativa porque deve ter nesses fechamentos muitas empresas que eram só de papel e que não geravam nada para a cidade”, explica.

Acesse GMC Online


 

Ao sair de casa, USE máscara. Clique aqui e saiba por que ela é importante.