Justiça Militar aceita denúncia contra 19 policiais rodoviários estaduais
Imagem Ilustrativa | Foto: Arquivo/Gaeco

Força e Honra

Justiça Militar aceita denúncia contra 19 policiais rodoviários estaduais

Segurança por Luciana Peña em 17/08/2021 - 10:27

O Ministério Público denunciou 20 policiais rodoviários estaduais de Maringá e região acusados de cobrar propina para liberar a passagem de ônibus com contrabando na região noroeste.

Os policiais rodoviários estaduais foram presos na Operação Força e Honra desencadeada pelo Ministério Público e pela Corregedoria da Polícia Militar do Paraná em 14 de julho.

Eles são acusados de montar um esquema de cobrança de propina nas rodovias da região noroeste.

Segundo a investigação, ônibus que transportavam mercadorias contrabandeadas do Paraguai só eram liberados após o pagamento de uma espécie de pedágio.

20 policiais rodoviários estaduais foram denunciados pelo Ministério Público à Justiça Militar, que aceitou a denúncia contra 19 deles, explica o promotor de Justiça Diogo de Araújo Lima, do Grupo Especializado na Proteção do Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria) de Umuarama. [ouça o áudio acima]

Sobre o policial rodoviário que teve a denúncia recusada pela Justiça Militar, o Gepatria irá redirecionar a denúncia. [ouça o áudio acima]

A CBN não conseguiu conversar com todos os advogados dos réus. Mas entrevistou o advogado Luciano Mazeto Barbosa, que representa dois réus.

Ele disse que há casos de policiais que foram envolvidos na acusação sem qualquer prova. [ouça o áudio acima]

Sobre a fala do advogado, o Ministério Público diz que foi criterioso na imputação de crimes. Por exemplo, nem todos os policiais escalados nos plantões em que teriam ocorrido os crimes, foram citados na ação. Os policiais são acusados de seis crimes, entre eles formação de organização criminosa, corrupção passiva e peculato, que é crime cometido por servidor público.

 

Quer enviar sugestão, comentário, foto ou vídeo para a CBN Maringá? Faça contato pelo WhatsApp (44) 99877 9550