Força-tarefa e projeto de lei pretendem coibir furto de fios de cobre em Maringá
Foto: Luciana Peña/CBN Maringá

Segurança

Força-tarefa e projeto de lei pretendem coibir furto de fios de cobre em Maringá

Segurança por Luciana Peña em 03/12/2021 - 13:21

Numa reunião no começo da tarde desta sexta-feira (3) foi criada uma força-tarefa com agentes das forças de segurança para fechar o cerco contra os receptadores de fios de cobre. E um projeto de lei, que será apresentado na Câmara Municipal, vai tornar mais rigorosa a fiscalização.

No mercado de fios de cobre, um quilo do material é comprado por R$ 40,00. Ladrões são atraídos por este mercado e roubam fiação de onde for. Até unidades de saúde ficam sem energia.

Na primeira semana de iluminação de Natal, os ladrões deram um prejuízo de 15 mil  reais furtando a fiação da decoração. Só na Avenida Tuiuti foram 300 metros de fios.

Por isso é preciso coibir esse crime. E o caminho mais rápido para isso é indo direto aos receptadores. Eles têm que provar a origem da fiação que compram.

O delegado-chefe de Maringá, Adão Rodrigues, diz que é assim que a Polícia Civil tem agido. [ouça o áudio acima]

Para intensificar este trabalho foi criada nesta sexta-feira (3) uma força-tarefa com agentes das forças de segurança e da fiscalização, diz o secretário de Segurança Ivan Quartarolli. [ouça o áudio acima].

O prefeito Ulisses Maia diz que os furtos de fiação causam prejuízo e muito transtorno.. [ouça o áudio acima]

Os empresários também sofrem com a ação dos ladrões, diz o presidente da Acim, Michel Felippe. [ouça o áudio acima]

Além da força-tarefa, um projeto de lei, que tramita na Câmara, pretende tornar mais rigorosa a fiscalização em revendas de fios de cobre. O projeto de lei é do vereador Luiz Cláudio Alves, que é delegado da Polícia Civil.

Atualizado às 19h38- O projeto de lei é de autoria do vereador Paulo Biazon, que elaborou a proposta. O vereador Luiz Cláudio Alves assina como coautor. 

 

Quer enviar sugestão, comentário, foto ou vídeo para a CBN Maringá? Faça contato pelo WhatsApp (44) 99877 9550

foto: Luciana Peña/CBN Maringá
foto: Luciana Peña/CBN Maringá