Empresa que presta serviços aos Correios demite e não paga acerto, dizem funcionários
Imagem Ilustrativa | Foto: Fernando Frazão/Arquivo/Agência Brasil

Maringá

Empresa que presta serviços aos Correios demite e não paga acerto, dizem funcionários

Cidade por Luciana Peña em 23/12/2020 - 09:59

13 funcionários de uma empresa de terceirização, que trabalhavam nos Correios em Maringá, foram demitidos e cumpriram aviso prévio, mas não receberam o último salário e nem o acerto. Por causa desta situação, eles não conseguem sacar o FGTS e nem dar entrada no seguro-desemprego.  

O fim de ano está difícil para um grupo de trabalhadores que eram contratados pela MG Terceirização, uma empresa de Curitiba que presta serviço para os Correios.

A empresa demitiu 13 funcionários que trabalhavam na Central de Distribuição dos Correios em Maringá. A função deles era separar as correspondências e distribuir por setores.

Eles foram demitidos em outubro, cumpriram o aviso prévio, que terminou em novembro, mas não receberam o salário do último mês trabalhado e nem o acerto. Também, segundo eles, não receberam o vale-alimentação de outubro.

Ewerton Camilo é um dos funcionários. Ele diz que não consegue sacar o FGTS e nem dar entrada no pedido de seguro-desemprego.

Ele tem dois filhos pequenos e está passando dificuldades. [ouça no áudio acima]

Andréia Siqueira também está enfrentando dificuldades, que poderiam ser amenizadas se ela recebesse o que tem direito. [ouça no áudio acima]

Além de ficar sem o dinheiro do acerto, Junior Soares também teve descontada parte do salário de outubro porque estava com Covid, em isolamento domiciliar. [ouça no áudio acima]

A CBN entrou em contato com os Correios e aguarda um retorno. A produção ligou para os telefones da MG Terceirização em Curitiba e na sede da empresa no Rio Grande do Sul, mas ninguém atendeu.

 

Atualizado às 14h27 - A CBN conversou com um responsável pelo setor de RH da empresa. Ele disse que o departamento jurídico já está resolvendo a situação destes funcionários.

Atualizado às 19h42- Os Correios informaram que a empresa se manifestará apenas em juízo