Denúncia: funcionária de asilo diz que feridas de idoso eram limpas com água sanitária
Imagem ilustrativa/foto: divulgação/Ministério Público

Maus-tratos e tortura

Denúncia: funcionária de asilo diz que feridas de idoso eram limpas com água sanitária

Segurança por Luciana Peña em 17/08/2021 - 10:57

Alaor Gregório, de 77 anos, morreu na semana passada. Uma das causas da morte foram úlceras de pele. O Ministério Público investiga se ele foi vítima de maus-tratos em asilo, interditado há duas semanas em Maringá.

Mais um idoso teria morrido em função de maus-tratos num asilo que foi interditado na semana retrasada pelo Ministério Público, em Maringá.

Alaor Gregório tinha 77 anos era um advogado conhecido na cidade, trabalhou por muitos anos na Câmara Municipal.

Na semana passada ele morreu, e segundo o Ministério Público, uma das causas da morte teria sido úlceras de pele.

E ainda de acordo com o MP, há relatos de uma funcionária do asilo que as feridas na pele do idoso eram higienizadas com água sanitária.

O MP apura se ele foi vítima de maus-tratos. Um idoso já tinha morrido neste asilo em função de maus-tratos. Por isso, além de interditar o asilo, o MP pediu a prisão da proprietária do local, que foi e continua presa. A filha da proprietária do asilo responde processo em liberdade.

Além da acusação de maus-tratos, há indício de prática de tortura, diz a promotora de Justiça Michele Nader. [ouça o áudio acima]

A CBN não conseguiu contato com os advogados do asilo.

 

Quer enviar sugestão, comentário, foto ou vídeo para a CBN Maringá? Faça contato pelo WhatsApp (44) 99877 9550