Decisão da Prefeitura de Maringá às vésperas do evento pegou mal e acumula críticas nas redes sociais
Imagem ilustrativa/Foto: Reprodução/internet

Paraná Running

Decisão da Prefeitura de Maringá às vésperas do evento pegou mal e acumula críticas nas redes sociais

Esporte por Luciana Peña em 02/12/2019 - 12:07

Na sexta-feira, véspera da Paraná Running, a Prefeitura de Maringá indeferiu o alvará para a realização da corrida, prejudicando milhares de corredores e centenas de funcionários da organização. O pior: justificou a decisão com informações contestadas e apagou a postagem.

Era para ser um momento de alegria para toda a cidade. O encerramento da Paraná Running 2019, com a etapa POP. Durante meses a organização cuidou de todos os detalhes. Documentos exigidos foram entregues dentro dos prazos legais. O percurso foi liberado pela Secretaria de Mobilidade Urbana e anunciado aos competidores. Mas na última hora, às vésperas da prova, a Prefeitura de Maringá indeferiu o alvará para a corrida. 

A primeira justificativa dada aos organizadores foi a de que a Semob não tinha efetivo suficiente para acompanhar a prova por causa da Maringá Encantada. Extra-oficialmente os organizadores se propuseram a contratar equipe particular. A prefeitura só precisava disponibilizar um agente da Semob para dar as ordens.E a corrida nem passaria perto do centro da cidade onde estão concentradas as atrações da Maringá Encantada.  Daí veio outra justificativa. Essa enviada à toda a imprensa: os organizadores não teriam entregue os documentos exigidos dentro dos prazos legais. Uma justificativa facilmente contestada pelos documentos disponíveis no sistema online de alvarás da própria prefeitura. 

Um dos organizadores da corrida, o diretor da VQV Eventos, Michel Tamura,  diz que mais do que o prejuízo financeiro causado aos organizadores e atletas, a não realização da prova é um prejuízo para a cidade. 

Para os atletas restou  a frustração, o desencanto com a cidade que preza tanto a qualidade de vida. Bruna Gusmão veio dos Estados Unidos com cinco colegas para correr a Paraná Running.

Nas redes sociais, a reação foi muito negativa para a Prefeitura. Na página da Prefeitura de Maringá, no Facebook,  os comentários na postagem da nota oficial, foram no mesmo tom: Dalton Diego escreveu: “que mancada prefeitura, bola fora hein… se fosse para proibir devia ter feito isso antes e não em cima da hora.” Leopoldo Said comentou: “ É dever da prefeitura avaliar todos os critérios para liberar ou não um evento..mas informar na véspera? Decisão lamentável".   Os internautas pediam que a Prefeitura não excluísse os comentários, mas no domingo a postagem foi apagada. A assessoria de imprensa da Prefeitura diz que foi apagada ‘inadvertidamente’. E que ninguém vai falar sobre o assunto. Continua valendo a nota,, essa que foi apagada da página oficial da prefeitura no Facebook. O Convention e Visitors Bureau emitiu uma nota sobre o ocorrido. A entidade, que representa 130 empresas ligadas ao trade turístico e de eventos, lamentou a decisão da prefeitura e prestou solidariedade aos inscritos na prova. Confira a nota completa abaixo:

 

"O Maringá e Região Convention & Visitors Bureau, representada por 130 empresas ligadas ao trade turístico e de eventos lamenta o indeferimento da Etapa POP Paraná Running às vésperas da realização da prova, marcada para o dia 30 de novembro de 2019.

Lastimamos o ocorrido e manifestamos nossa irrestrita solidariedade aos participantes que se deslocaram até Maringá e àqueles que se prepararam para o evento.

O Maringá e Região Convention & Visitors Bureau enfatiza a importância do impacto econômico de eventos e reitera seu compromisso com a promoção e fomento a eventos na cidade, destacando que nutre todo respeito pelo equilíbrio e congruência no trade turístico e de eventos em Maringá."