Aglomeração na Av. Petrônio Portela repercute
Imagem Ilustrativa | Foto: Arquivo/Polícia Militar

Maringá

Aglomeração na Av. Petrônio Portela repercute

Cidade por Letícia Tristão em 16/04/2021 - 16:00

O estabelecimento alega que acionou a fiscalização para conter as pessoas que estavam na calçada. Abrasel afirma que apoia os comerciantes que cumprem rigorosamente os decretos e pede fiscalização eficaz. Segundo a segurança municipal, o GGI não foi acionado diretamente e quando há grande número de pessoas, a operação precisa ser mais planejada.

Os bares foram autorizados a voltar a receber público para consumo no local, até 21h de segunda a sexta, no último decreto publicado pela prefeitura. Mas as imagens de aglomeração já circulam pelas redes sociais. Nessa quinta-feira (15), uma situação em um bar da Avenida Petrônio Portella, em Maringá, repercutiu. Muitas pessoas aglomeradas na calçada em frente ao estabelecimento, com consumo de bebidas alcoólicas.

A empresa emitiu um comunicado, disse que tentou conversar com os jovens, impedir o acesso às calçadas, mas que não foi possível conter. O estabelecimento disse ainda que acionou a fiscalização municipal e até a polícia. Na nota, o bar afirmou que até fechou as portas mais cedo do que o determinado pelo decreto, mas que as pessoas só saíram das calçadas por volta das 23h, depois do toque de recolher, que começa às 22h.

Desde o início da pandemia, o Grupo de Gestão Integrada da Prefeitura de Maringá reúne diversas forças de segurança, com o objetivo de fiscalizar os estabelecimentos e a população no cumprimento dos decretos. O secretário de Segurança, Ivan Quartarolli, disse que a Guarda Municipal não foi acionada para esse caso específico e que em determinadas situações, quando há um grande número de pessoas aglomeradas, a operação de fiscalização precisa ser planejada anteriormente e demanda equipe maior, para evitar problemas, principalmente porque envolve pessoas que consumiram bebidas alcoólicas. [ouça o áudio acima]

A reportagem perguntou à Polícia Militar se houve denúncia pelo 190.

A Abrasel - Associação Brasileira de Bares e Restaurantes - emitiu uma nota afirmando que repudia atos de aglomeração e que defende os comerciantes que cumprem rigorosamente os decretos. Os casos de aglomeração são pontuais, segundo a Abrasel. No comunicado, a associação pede ainda que a fiscalização seja metódica e eficaz, para evitar aglomeração de pessoas.

O presidente da Abrasel Noroeste, Rafael Cecato, diz que a associação elaborou um manual de orientações para que os estabelecimentos cumpram as normas sanitárias e que a maioria dos associados têm cumprido à risca os decretos.[ouça o áudio acima]