No Dia do Livro, saiba o que Maringá oferece para leitores
Reprodução/IStock

23 de abril

No Dia do Livro, saiba o que Maringá oferece para leitores

Por Victor Simião em 23/04/2019 - 16:04

Além de bibliotecas com programação voltada para vários públicos, há clubes de leitura e escritores reconhecidos.

Player Ouça a reportagem

O livro abre portas, aponta caminhos, muda o ser humano. Todo leitor sabe disso. Mas e quem ainda não tem o hábito da leitura, o que fazer para começar a ler? Possibilidades não faltam – ainda mais em Maringá. Por conta do Dia Mundial do Livro, comemorado na terça-feira, a CBN apresenta algumas informações relativas à leitura e à literatura para o ouvinte.

Comecemos pelas bibliotecas. O município conta com seis – uma delas em Iguatemi. O acervo da rede tem 140 mil volumes, obras de todos os tipos. O funcionamento dos espaços é de segunda a sábado. O horário varia. Há contação de histórias, discussão de obras para o vestibular – um mundo a ser explorado.

Além disso, há um acervo de escritores maringaenses – com 400 volumes, explica a bibliotecária Romi Matos.

Maringá também conta com ao menos cinco clubes de leitura em atividade: Bons Casmurros, Leia Mulheres, Amigos de Palavra, Maringá e Veredas. Os públicos variam: tem para todas as idades e gostos. E tudo ocorre gratuitamente.

A advogada Cilene Resende frequenta um clube de leitura. Desde criança, o livro faz parte da vida dela. E ela recomenda o prazer dos livros para todo mundo.

Há uma série de autores vivendo em Maringá e região. Nomes reconhecidos já: Marcos Peres, Luigi Ricciardi, Bruna Siena, Thays Pretti, Oscar Nakasato. Também há autores que viveram aqui e hoje estão fora: Laurentino Gomes, Ademir Demarchi, Marco Cremasco, Ana Guadalupe.

A Thays Pretti, autora do romance “Do Silêncio” e do volume de crônicas “Desalinho” prepara um volume de contos para este ano. Na avaliação dela, o livro nos humaniza – e também auxilia a nossa forma de ver o mundo.

Maringá também conta com a Festa Literária Internacional de Maringá, a Flim, que já trouxe autores como Milton Hatoum, José Eduardo Agualusa, Angélica Freitas, Selva Almada e outros nomes importantes.

Há também eventos literários organizados pela UEM, pelo Sesc e por grupos independentes.

Ou seja: há várias formas de começar a ler e respirar literatura em Maringá. É só escolher a sua e entrar nesse mundo infinito de possibilidades.

Notícias da mesma editoria