Mutirão para revalidação de diplomas será nessa quinta-feira (15)
Imagem ilustrativa/Foto: unilogos.org

Refugiados

Mutirão para revalidação de diplomas será nessa quinta-feira (15)

Por Luciana Peña em 14/08/2019 - 12:10

O Instituto Sendas, em parceria com a ONG Compassiva, vai receber documentos de refugiados para iniciar o processo de revalidação dos diplomas. 30% dos refugiados no Brasil têm curso superior.

Player Ouça a reportagem

Em Maringá, a vida está bem melhor, diz o engenheiro civil Manuel Bracho, refugiado venezuelano. Mas para sobreviver aqui, Manuel, que dava aulas de matemática numa universidade na Venezuela, aceitou trabalhar de motorista, porque o diploma dele precisa de revalidação.

História parecida com a da pedagoga Súlmar Reyes. Ela tem doutorado em inovações educativas. Veio para o Brasil para não passar fome na Venezuela. Aqui tentou dar aulas de espanhol, mas nem isso conseguiu. O primeiro emprego no Brasil foi num restaurante.

Súlmar e Manuel têm agora a chance de revalidar o diploma e conseguir uma melhor oportunidade no Brasil. Nessa quinta-feira, o Instituto Sendas, que atende refugiados, vai realizar um mutirão para receber documentos e encaminhar processos de revalidação de diplomas, com exceção de médicos que fazem a prova do Revalida. Erick Perez, do Instituto Sendas, diz que há vários anos refugiados tentam revalidar diplomas sem sucesso em Maringá. Ele conta o caso de um haitiano que voltou a estudar para obter o mesmo diploma que tinha no Haiti.

A revalidação só é possível agora porque o Sendas fechou uma parceria com a ONG Compassiva ligada à ONU. A advogada Camila Suemi Tardin, coordenadora do Projeto Nacional de Revalidação de Diplomas, explica como será esse processo.

A advogada diz que o Brasil tem muito a ganhar com estes profissionais qualificados. E para o refugiado não é só uma questão de sobrevivência, é também um resgate de identidade.

O mutirão será na Rua Santos Dumont, 1381, das 9h às 11h e das 14h às 16h30. É importante levar todos os documentos que o refugiado tiver.

Manuel Bracho é engenheiro e trabalha como motorista em Maringá
Manuel Bracho é engenheiro e trabalha como motorista em Maringá
Súlmar  Reyes, pedagoga com doutorado em inovações educativas, trabalha como vendedora em Maringá
Súlmar Reyes, pedagoga com doutorado em inovações educativas, trabalha como vendedora em Maringá

Notícias da mesma editoria