Em dois meses, apenas quatro pessoas procuram leitos de acolhimento
Foto: Divulgação/Hospital Municipal de Maringá

Auxílio

Em dois meses, apenas quatro pessoas procuram leitos de acolhimento

Saúde por Victor Simião em 15/09/2020 - 16:05

São espaços para abrigar quem precisa ficar de quarentena no Hospital Municipal Municipal de Maringá devido à Covid-19.

Os 80 leitos do Hospital Municipal de Maringá, criados para receber pessoas que estejam com a Covid-19 e desejam fazer a quarentena, segue com baixa procura. Funcionando desde 13 de julho, até esta semana somente quatro maringaenses ficaram no local. Além disso, a Secretaria de Saúde registrou 18 ligações de pessoas se informando sobre.

A Prefeitura decidiu criar o abrigo para pessoas que fossem infectadas com o novo coronavírus e que, por uma série de motivos, precisassem sair de casa. Um protocolo foi feito, permitindo a seleção de pessoas. A prioridade está para quatro grupos: profissionais de saúde; profissionais da segurança ou serviço público; moradores em residência de até 70 metros quadrados com mais de quatro pessoas; e quem vive com alguém que esteja no grupo de risco e não consegue manter o isolamento social.

Segundo o Executivo, a unidade montada tem 20 quartos com capacidade para até quatro pessoas. 50% das vagas são exclusivas para profissionais da saúde; o restante para os outros grupos. A utilização de máscara é obrigatória e não é permitido sair do setor por 14 dias. Roupas e itens pessoais são de responsabilidade de cada um. A medida foi feita para diminuir contágio em Maringá.

A Prefeitura avalia o seguinte: não é fácil ficar isolado por 14 dias. Esse é um dos motivos da baixa procura.

Por isso, o secretário de Saúde, Jair Biatto, já disse à CBN que se for o caso é possível obter ajuda psicológica. [ouça no áudio acima]

Os interessados devem se inscrever pela internet, em um formulário disponibilizado no site do município. O endereço é o maringa.pr.gov.br.

Retorno:

Devido à baixa procura por parte dos pacientes, a Prefeitura de Maringá começou desativar os 80 leitos de isolamento de pessoas com coronavírus do Hospital Municipal.