1º Seminário dos Estudantes Indígenas dá visibilidade aos acadêmicos
Luciana Peña/CBN Maringá

UEM

1º Seminário dos Estudantes Indígenas dá visibilidade aos acadêmicos

Por Luciana Peña em 13/09/2018 - 10:58

São 54 índios matriculados na UEM. A universidade é a que mais tem alunos índios no Paraná. Muitos são do ensino a distância e não precisam sair das aldeias. 

A Cuia, citada na entrevista, é a Comissão Universidade para os Índios 

 

Player Ouça a reportagem

O estacionamento em frente ao Restaurante Universitário de Maringá está com cara de aldeia indígena. Até dança de índios teve na manhã desta quinta-feira. É o primeiro Seminário dos Estudantes Indígenas da UEM, que começou hoje e vai até essa sexta-feira. Os 54 estudantes indígenas da UEM e familiares, vindos das aldeias, participam. Arieli Knop, presidente da Associação dos Universitários Indígenas, que está sendo lançada durante o seminário, diz que o objetivo é dar visibilidade a este grupo que cada vez aumenta mais e tem demandas que precisam ser atendidas.

O vestibular indígena na UEM vai para a 18ª edição. São 6 vagas. No ano passado 746 índios se inscreveram. Dos 54 acadêmicos Indígenas da UEM, 30 estão matriculados no EAD, ensino a distância, e não precisam deixar as aldeias. Os estudantes são de variadas aldeias do Paraná e das etnias Kaingang e Guarani.

Noticias Relacionadas